Eu, minha mulher e outro



Click to Download this video!

Primeira fantasia sobre a qual escrevo. Já realizei várias sem nunca botar no papel, mas essa me perseguiu o suficiente para eu sentar aqui e contar a respeito.
Não que seja nova, apareceu numa época que eu e minha mulher estávamos mais no clima de aventuras e brincadeiras sexuais. Vivemos situações muito excitantes, sobre essas falo depois.
Isso mudou um pouco pois saímos de São Paulo, onde tudo é mais anônimo, mais permitido, para uma cidade menor, não dá para ficar tão a vontade. Aquela história de um conhece o outro e tal, mas com o tempo sei que a gente vai dar jeito nisso.

Agora vou falar dela.
Para não deixar dúvida, amo minha mulher. Casamento é difícil por princípio, então, sim, temos brigas, períodos ruins, mas para mim o que importa é saber que não tem outra como ela, e que no fim a gente acaba muito bem.

Deliciosa não define. Essa gata tem 44 anos, mas com um rosto lindo de olhos verde meio azulados e um corpo de enlouquecer. Ela é toda gostosa, foi atleta, uma genética ótima. A bunda é inacreditável, obra do divino, e até agora a prova do tempo.
Super parceira, safada quando tem que ser, mas sem passar do ponto.

Como já tivemos umas brincadeiras com outros parceiros, mulheres e homens (ou homem, já que foi só um), nada mais inevitável que sonhar com a próxima.

Essa minha fantasia é vê-la no banco de trás do carro, de fio dental e salto alto, chupando outro pau, sendo toda acariciada e lambida, e eu de motorista só de olho.
Claro que o plano no fim é se juntar a brincadeira, mas eu imagino isso acontecendo no caminho para o motel. Chegando lá a festa continua. Mas começa no carro…

Uma musica das antigas bem gostosa e um ar condicionado, ela bem putinha, bem safada, abrindo a calça dele e tirando a pica para fora. Duas Vodkas Ice para brindar. Eu de motorista e a sacanagem no banco de trás.

Então depois de um carinho começa o boquete, que só ela sabe, com o pau ainda mole. Ela fica mascando só a cabeça, é de matar de tesão. E conforme aumenta o tesão, ela lambe umas vezes de baixo para cima bem devagar até engolir de vez o pau duro e começar a mamar com vontade.

Ela vai curtindo a pica, engolindo, lambendo, beijinho na cabeça, uma cuspidinha para deixar bem molhado. Como é gostoso ver ela se lambuzar no pau dele.
Enquanto desvio o olhar para um transito moderado que se aproxima, escuto a respiração dele mais intensa, ela também nota, e sem tirar o pau da boca geme bem gostoso, e depois me pergunta se é assim que gosto, se eu gosto quando beija a cabecinha.

Eu gosto sim, e muito.

Vejo no espelho o boquete virando uma punheta bem gostosa, enquanto ele começa a beijar os lábios, o pescoço e em seguida as tetinhas., ela sem largar do pau um momento.

Esperando o farol abrir, fico olhando a mão dele apertando as coxas, esfregando a bunda e dedando a bucêta. Não resisto, cheio de tesão, peço a ele para sentir esse rabo gostoso, e a ela peço para virar a bunda para ele lamber.

Estamos agora num trecho com menos movimento, perfeito para ela virar de quatro e oferecer tudo. Ela diz “olha amor que gostosa essa chupada” e se abre toda.
Vou olhando pelo espelho, sem esquecer da vida, o que eu menos quero agora é bater o carro. Quando posso eu olho direto para trás, para ver a cena toda.
Ela dá aquela lambida geral, da buceta até o cuzinho, e segue assim, parando as vezes para enterrar a língua, ajudando com as mãos para arreganhar melhor a minha putinha.
Sigo de olha no trânsito que aumenta um pouco, pergunto a ela se está gostoso, ela me diz “uma delícia amor”, e pede a ele “põe o dedinho, põe, põe que ele adora”.
Vejo quando ele cospe no cuzinho e põe o dedo com jeito enquanto ela solta um gemido safado.
De repente ela me pede para abrir outra Vodka Ice, as duas primeiras já tinham ido.
Ela se senta de novo, toma um gole, molha um pouco a mão e lambuzou os peitinhos pedindo:

– agora vem mamar gostoso vem…fica olhando, amor, que delícia.

Chupação nas tetinhas com gostinho de Ice, e ela o empurra devagar até poder se jogar de boca de novo na pica, dessa vez derramando um pouco da Vodka antes.
Nessa hora já estou morrendo de tesão, louco para ver as duas rôlas na boca da vadia, chegou a hora do também quero. Por sorte o motel está chegando.
Ela veste a blusinha que no meio da putaria tinha tirado, mas segue na punhetinha enquanto chegamos e fazemos o check-in. A recepcionista dá uma risadinha e pede os documentos.
Já na garagem do quarto, porta baixada, começa a Festa Parte II.

Ficamos fora do carro, cada um de um lado, tomamos o resto da vodka e lambuzamos ela nos peitinhos, no pescoço, lambendo e passando a mão na bunda, enquanto ela segura com jeito os dois paus fazendo uma massagem bem molhada

Hora da cama, então ela decide subir a escada de um jeito original. Eu subo primeiro de costas, ela chupando, enquanto o outro se aproveita da bunda dela lambendo, passando a mão e brincando com a rôla.
Como é mais fácil falar que fazer, damos risada no meio da escada quando o trenzinho “desengata”.

Mal entramos no quarto e a safada diz :

vem que eu quero os dois paus

Senta na beirada da cama enquanto botamos as picas na cara dela.
Começa a brincadeira chupando um, chupando o outro depois os dois juntos.
O meu com 18 e o do cara com uns 20, não sobrou espaço mas ela acomodou direitinho na boca.
Tirei umas fotos nessa hora, uma das partes boas é olhar depois e lembrar no maior tesão.

Pausa para tirar o resto da roupa, ela só de calcinha, começa um esfrega em pé bem gostoso. Fazemos um sanduíche dela, enquanto eu passava o pau na bundinha ele chupava os peitos que eu apertava por trás e os dois enchiam ela de beijos e dedadas.
Viramos de um lado para outro umas vezes até que ela fica de bunda para mim e pede rôla na bucêta.

toma então sua putinha, e chupa gostoso esse pau.

E ela sem piscar cai de boca no pau dele, enquanto eu fodo ela com força, pau estourando.
Passa um tempo assim, até que tiro o pau e começo a lamber o rabo dela, que é uma puta delícia. Ela segue firme na chupada, até que eu convido nosso amigo a se juntar na lambeção.
Vamos revezando as linguadas até que deixo ele sozinho para aproveitar bem dessa bunda enquanto vou ganhar minha chupada.

Enquanto ela me chupa com vontade, fico olhando o tesão dos dois e vou pensando na próxima brincadeira, já que vai ser a primeira vez.

Temos um acordo do tipo ela não dá para outro e eu não como outra, o resto pode tudo.
Só que eu sempre quis fazer uma dupla penetração nela, sempre imaginei ela dando o cu e a buceta para dois, aí sugeri que fizéssemos, já que uma vez ela me liberou e eu dei uma comida numa mulher que estava com a gente.
Alem disso ela já tinha chupado buceta, dado beijinho e tudo mais nas amigas, as duas me chuparam, então nada mais justo e excitante que…levasse duas rôlas de uma vez!

Ela tinha dito que faria se estivesse a vontade, e o clima estava ideal. Faço um sinal com dois dedos se mexendo que a gente tinha meio que combinado, e ela sussurra um “um-hum” mais safado impossível. Peço para ele meter gostoso nela, ele já maluco de tesão, não preciso falar de novo. Botou a camisinha e foi puder ela gostoso, que começa a chupar meu pau mais forte.
Depois que passa a novidade, ela vai se soltando e rebolando bem gostoso.
Sinalizo para ele dar uns tapas na bunda da vadia, e ela, é claro, adora…

mete gostoso nela, tá delícia, amor?
tá sim, põe esse pau todo safado, põe que ele gosta de ver.

E é verdade, show ver aquela bunda empinada rebolando toda.

Me dá vontade também e vou por trás revezar a buceta com ele, cada um comendo um pouco enquanto o outro deda o rabo e dá uns apertos; colocamos um óleo do motel, o cuzinho ficou muito lubrificado.

Continuamos revezando com ela de frente e até colocamos um pouco os dois juntos na buceta.

Bom, chega a hora. Peço para ele deitar e ela vai por cima, de costas para mim, encaixa na hora no pau e senta até o fim, se mexendo devagarinho, gostoso demais. Paro um instante para contemplar aquela piranha gostosa, sentada no cacete, e vou me ajeitando para começar a dupla. Vou botando no cu devagarinho, leva um tempinho para encaixar toda essa meteção. Ela então empina um pouco a bunda e aí fica perfeito. Vamos os dois socando sem exagero, ela se rebolando e gemendo com um puta tesão, até que fala bem putinha:

ai amor que delícia dois paus…eu quero…mete mais vai!!

me bate, me chama de puta que eu tô adorando.

chama mais que eu encaro, que eu sou vagabunda, vagabunda com tesão!!

faz fila para a neném mamar faz…

Aí quase não deu para segurar, dei aquela paradinha de leve, respirei e voltei a socar. Metemos sem dó por um bom tempinho. Dali a pouco ele se manifestou e pediu para eu deitar e a ela para sentar de rabo em mim, assim ele podia comer a buceta por cima. Mexe aqui e ali e essa engatada saiu perfeita, ficamos um bom tempo comendo a safada e passando a mão nela toda.

Ela não parava de dizer “come, fode a puta toda, mete pau, quero rola”, atendemos o pedido comendo bem gostoso um pouco mais, até que paramos para respirar um pouco.

Em seguida botamos ela em cima de uma mesinha de jantar e ela ficou ali, servida para refeição.
Chupamos ela todinha, enquanto eu mamava a buceta ele chupava na manha os peitinhos e dava uns beijos na boca.

Nessa hora a banheira terminou de encher e fomos para lá, água quentinha, relaxar e foder um pouco mais.

Sentamos lado a lado e ela ficou chupando uma rola e punhetando o outro com óleo, trocando umas vezes e dizendo:

delícia essa banheira, cheia de pau pra mim.

que gostoso, quero mais, chama mais rola para mim.

Tenho certeza que ela dá conta de mais rola, mas nessa noite foram duas, quem sabe outro dia???

Dito e feito, me pediu para sentar no meu pau na borda, enquanto deixou ele de pé e foi chupando com vontade. Ela ficou um pouco de lado, e deu para ver bem de perto ela mamar gostoso e rebolar na minha pica.
Pedi para ela lamber tudo, e ela foi chupando o saco com jeito, e lambendo devagar até a cabeça, dando um puta trato naquele cacete.

Foi aí que ela disse do nada:

agora quero ver os dois brincando…só um pouquinho

Os dois ficaram meio quietos, um sem olhar para o outro. Vou confessar que vendo ela mamar tão pertinho me deu vontade de chupar aquele pau com ela, bem gostoso. É incrível como dá tesão dividir pica com a mulher.

A gente sabia que ele era liberal, então podia rolar uma brincadeira boa.

Ela bem rápido botou os dois de volta na borda, pegou a mão dele e botou no meu pau…

só um pouquinho, vai…

Ai eu também peguei na rola dele, um pauzão bem bonito, ela botou um óleo e foi punhentando comigo, demos a mão para trabalhar em equipe. Aí fiquei só eu com aquele cacete e fui logo botando na boca dela, a cachorra lambendo tudo enquanto eu fazia um carinho nas bolas dele.

O cara se encheu de tesão, se abaixou para me chupar, ela veio junto e eles ficaram lambendo juntos e dando uns selinhos, até que enquanto um engolia o outro lambia o saco. Puta tesão.

Aí mais um pedido dela:

agora na cama que eu quero ver vocês num 69!

Rapidinho fomos para lá e ficamos deitados de lado, eu cai de boca junto com ele, 69 de rola.
Ela ficou curtindo um pouco, com dedo no grelo, até que dessa vez fui eu quem pediu:

vem cá amor, vamos dar beijo na rola dele.

E assim foi, ficamos nos beijando com a rola dele no meio, durinha, revezando umas lambidas no saco.
Em seguida eu fiquei punhetando para ela chupar, aproveitei para bater na cara da vadia com a piroca.

ai, dá de pau na minha cara que eu gosto…

agora engole tudo, seu puto.

Ai nos revezamos, engolindo tudo, molhado, gostoso.
Ajudou que o pau dele era mesmo um tesão, grande, grossinho, bem formado, cheiroso.

Bom, ai foi chegando a hora do grand finale, ninguém mais conseguia segurar.

Sugeri um 69 dois dois enquanto eu punha no cu dela, foi bom demais porque ele chupava a buceta dela e dava uma levantada para lamber meu saco enquanto eu metia na bundinha dela.

Bom, ai começou a dar a vontade de gozar, falei para ele para enchermos a vadia de porra e assim fizemos.

Aquele gozada gigante, com tremedeira, no peitinho e na boca, e foi assim que a festa terminou.

Ele ficou bebendo um pouco, demos umas risadas, pouco depois ele foi embora, combinamos outra em breve.

Fiquei com minha esposa conversando e bebendo mais um pouco, dali a um tempo fomos ficando com tesao de novo, ai fizemos nossa festinha private para comemorar tudo aquilo.

Estava doido para colocar umas coisas diferentes na buceta dela, ai peguei uma garrafa vazia e,

Foi tudo ótimo, outra hora repitiremos, não tenho duvida nenhuma.